São Paulo emplaca sequência e mira final de ano positivo

Para conquistar a sua terceira vitória consecutiva no Brasileirão, o São Paulo não contou apenas com uma excelente atuação de Aloísio, autor dos três gols do triunfo por 3 a 2 sobre o Inter, domingo, no estádio Centenário em Caxias do Sul (RS). Além de o Tricolor conseguir abrir o placar antes dos dez primeiros minutos de jogo, ele demonstrou que a sorte está do seu lado e se aproveitou de uma arbitragem confusa de Péricles Bassols, que não marcou impedimento do Boi Bandido no lance do primeiro gol e deixou de dar um pênalti para o Colorado, na segunda etapa. O triunfo fez o time do Morumbi abrir dez pontos da zona de rebaixamento e ficar a nove do G-4. Mas os são-paulinos ainda preferem manter os pés no chão e só pensar em se livrar definitivamente de qualquer chance de cair.

Em qualquer jogo de futebol, fazer um gol no início é um grande passo para conquistar uma vitória. Foi assim que o Tricolor começou a construir, logo aos nove minutos, o triunfo sobre o Inter, em Caxias do Sul. A despeito do fato de Aloísio ter recebido em posição ilegal um belo passe de Rodrigo Caio, o São Paulo chegou ao primeiro gol e passou a jogar com mais tranquilidade no estádio Centenário, onde o Colorado está mandando partidas até que o seu campo, o Beira-Rio, termine a sua reforma para ser uma das sedes da Copa do Mundo de 2014.

Aloísio vive uma fase iluminada. O atacante, mais conhecido por sua enorme garra do que pelo seu bom futebol, foi o melhor homem em campo, no Centenário. Ele, que vinha de três gols nas últimas duas partidas, marcou os três da vitória sobre o Internacional, infernizando a defesa do time gaúcho. Foram dois de pênalti, cujas cobranças foram liberadas por Rogério Ceni. Após o jogo, o Boi Bandido, agora um grande carrasco do Colorado, seguiu a tradição de quem balança a rede três vezes e pediu música no Fantástico. Em sua primeira temporada no São Paulo, Aloísio já soma 20 gols, um a menos do que Luis Fabiano.

Para vencer o Inter por 3 a 2, o Tricolor fez a sua parte, mas também contou com uma boa dose de sorte. Os gaúchos balançaram a rede duas vezes, mas perderam diversas oportunidades de marcar. O ex-corintiano Alex chutou duas bolas venenosas na trave de Rogério Ceni. O atacante Leandro Damião deixou o dele, mas perdeu um gol feito na primeira etapa. Livre e na frente da meta são-paulina, o selecionável conseguiu chutar pela linha de funda. Duas bolas chutadas, por D´Alessandro e Otávio, também demonstraram a sorte do time do Morumbi. Elas tinham o gol como direção, mas passaram raspando a trave tricolor.

Péricles Bassols foi um personagem muito importante na vitória do São Paulo. O árbitro teve uma atuação bastante confusa. Além de não marcar impedimento de Aloísio no primeiro gol do São Paulo, outro lance chamou bastante a atenção – foi aos 33 minutos do segundo, quando o juiz carioca deixou de dar um pênalti para o Colorado. Na jogada, o volante Wellington derrubou Jorge Henrique dentro da área, mas o apitador marcou a infração fora da área. Porém, o maior erro de Cortez não foi errar o local da falta, e sim parar o jogo. Segundo Leonardo Gaciba, comentarista de arbitragem da TV Globo, o lance foi normal e nada deveria ter sido marcado. .

Apesar de atravessar o seu melhor momento no Brasileirão, com cinco vitórias e um empate nos últimos seis jogos, o São Paulo tratou de demonstrar que está com os pés no chão. Com o triunfo sobre o Internacional, o time saltou para a 9ª colocação da tabela, com 43 pontos, nove atrás do G-4 (o Atlético-PR, o 4º, tem 52 pontos). No entanto, de acordo com os são-paulinos, a luta do time ainda é para se livrar do rebaixamento, situação mais enfrentada pela equipe na competição. Porém, agora o Tricolor abriu dez pontos da zona da degola. Time mais perto de sair do Z-4, a Ponte Preta (17ª colocada), soma 33 pontos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>